Bolos de arroz | em meia hora


São fáceis e rápidos de fazer e, quem os prova, não resiste à sua crosta açucarada. Falo-vos, uma vez mais, dos tradicionais bolos de arroz, que podem preparar em vossas casas em menos de meia hora, ora vejam,

Granola caseira


Está tão na moda a granola, e é tão fácil prepará-la! Ainda por cima, podemos fazer a granola ao nosso gosto, com estas ou aquelas sementes, estes ou aqueles frutos secos. Aqui, a imaginação é o limite, e depende mesmo do gosto de cada um.
Eu cá gosto de a consumir como topping nos iogurtes, mas também fica excelente com bebida vegetal fria, em vez dos tradicionais cereais (aborrecidos).
A principal vantagem? É que sabemos o que colocamos, e controlamos as quantidades de um e outro ingrediente.
Quase me esquecia... se for muito guloso, no final e com a granola completamente fria, experimente adicionar uns pedacinhos de chocolate negro... Eu não disse nada! 😉


INGREDIENTES para o forno

200 gramas de flocos de aveia
75 gramas de sementes, podem ser girassol, sésamo, quinoa, linhaça, abóbora...
50 gramas de óleo de côco ou azeite
60 gramas de açúcar mascavado escuro
120 gramas de mel ou geleia de agave, por exemplo
1 colher de chá de canela moída
1 pitada de sal


Para adicionar depois de ir ao forno
100 gramas de avelãs ou amêndoas torradas
100 gramas de fruta desidratada, pode ser banana, morango, manga, laranja...
50 gramas de cubos de côco desidratado
25 gramas de sultanas

PREPARAÇÃO
Pré-aqueça o forno nos 170º
Coloque o óleo de côco num tachinho e leve ao lume até derreter.
Adicione o mel e misture bem.
Coloque os restantes ingredientes do primeiro grupo num tabuleiro grande forrado com papel vegetal.
Regue com a mistura de mel e óleo e misture bem com uma espátula.
Espalhe por toda a superfície e leve ao forno durante cerca de 20 minutos, ou até que fique dourado.
A meio do tempo, retire o tabuleiro do forno, misture e espalhe novamente.
Quando tudo estiver dourado e a soltar aroma, retire do forno.
Deixe arrefecer ligeiramente e adicione os restantes ingredientes. Envolva bem.
Deixe arrefecer completamente e distribua por frascos de vidro.


Natillas | O leite creme espanhol


Com sabor a limão ou a baunilha e com inúmeras denominações, o leite creme é preparado praticamente por todo o mundo; em Espanha, mais conhecido por Natillas, faz parte do menu de todas as casas; querem saber porquê? Nem eu sei, mas julgo que seja pela facilidade de preparação e baixo custo dos ingredientes.
Quanto a vocês, chamem-lhe o que vos apetecer, mas não deixem de o preparar quando vos aparecer alguma visita de última hora, que se junte à mesa.

INGREDIENTES (para 4 porções)
500 ml de leite meio gordo
20 gramas de amido de milho (maizena)
50 gramas de açúcar
2 gemas de ovo
1/2 vagem de baunilha
8 bolachas maria (opcional)
Cacau em pó para polvilhar

PREPARAÇÃO
Reserve cerca de 50 ml do leite.
Raspe as sementes de meia vagem de baunilha para um tachinho.
Adicione o leite e leve ao lume até ferver.
Entretanto, num recipiente, misture o açúcar, as gemas e o amido de milho com o leite reservado.
Assim que o leite começar a ferver, reduza a potência do fogão e adicione, sem parar de mexer, a mistura das gemas.
Continue a mexer até engrossar. Quando ferver novamente, retire do fogão.
Distribua as bolachas, partidas em pedaços não muito pequenos, por 4 frascos ou taças.
Verta o creme nos frascos e leve ao frio durante, pelo menos, uma hora.
No momento de servir, polvilhe com um pouco de cacau.


Individual Inspirações Portuguesas

O bolo da avó da Inês


Às vezes apetece-me parar o relógio e congelar o tempo. 
Esquecer as coisas menos boas do dia-a-dia e ficar a recordar apenas os melhores momentos, aqueles que sempre me visitam quando estou mais nostálgico. E é nesses momentos que me apetece uma fatia de bolo; não me apetecem sobremesas elegantes e complexas com mil e um sabores e texturas, apetece-me uma fatia de bolo; de um bolo fofo, simples, descomplicado e que me faça parar, não pensar em mais nada. E este bolo de côco da avó da Inês conseguiu que eu parasse durante quase uma hora, a editar fotos; já vos disse quanto gosto de cozinhar, de fazer bolos, de fotografar e editar fotografias? Gosto mesmo muito!
Mas voltando ao bolo, a Inês é daquelas pessoas bonitas (e giras) que aparecem nas nossas vidas para nos inspirarem; as fotos dela contam tanta coisa! E foi a foto do bolo da avó da Inês que me fez reproduzir a receita que hoje vos trago. 
Proponho-vos um exercício: façam este ou outro bolo simples, peguem num copo de leite, chá ou café e parem! Parem um bocadinho e desfrutem das coisas mais simples e bonitas que a vida nos dá.

INGREDIENTES
6 ovos biológicos
400 gramas de açúcar
2 iogurtes naturais ou de côco
75 ml de óleo
40 gramas de côco ralado
300 gramas de farinha com fermento
1 colher de chá de fermento em pó
Raspa de 1/2 limão

PREPARAÇÃO
Pré-aqueça o forno nos 180º (170 com ventilação).
Bata os ovos juntamente com o açúcar e a raspa de limão, com a batedeira, até obter um creme volumoso esbranquiçado. 
Adicione os iogurtes, o óleo e o côco ralado e bata mais um pouco.
Peneire a farinha juntamente com o fermento e adicione-a à massa.
Envolva, à mão, com a ajuda de uma espátula até estar toda integrada, mas sem bater demasiado.
Verta a massa numa forma grande com chaminé untada com manteiga e polvilhada com farinha e leve ao forno durante cerca de 40 minutos. Faça o teste do palito.
Quando o bolo estroversa cozido, desenforme e deixe (ou tente, pelo menos...) arrefecer em cima de uma rede.
Antes de servir, polvilhe com um pouco de côco ralado.





Croquetes de frango e parmesão


A palavra desperdício alimentar não existe cá em casa, não apenas por uma questão económica, mas também porque me custa, sabendo que há, infelizmente, tanta gente a passar fome, deitar comida fora. Está claro que, ao viver no campo, alguns dos restos são utilizados como alimentação dos animais: galinhas, porcos, cães... mas há coisas que me gusta mesmo deitar fora, como os restos de frango assado; sabem aqueles pedaços do peito que já ninguém quer, porque estão mais secos do que o resto? Pois, às vezes preparo wraps, ou saladas, ou empadas, mas também costumo, com alguma frequência, preparar este tipo de croquetes, bem cremosos e apetitosos, com um exterior do mais crocante!
São ideais para servir como entrada, mas também como prato principal acompanhados de um pouco de arroz e salada; e vão sempre comigo para os piqueniques!

INGREDIENTES 
300 gramas de restos de frango assado
50 gramas de manteiga
100 gramas de farinha
½ litro de leite
2 ovos
2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta q.b.
Óleo q.b.
150 gramas de corn flakes 

Para o molho:
1 iogurte natural
Sumo de meio limão
Sal e pimenta q.b
Cebolinho fresco q.b

PREPARAÇÃO
Desfie o frango ou pique-o no processador, até ficar bem fino. Reserve.
Aqueça um tacho com a manteiga. Adicione a farinha e misture até obter uma pasta.
Adicione o leite, aos poucos e sem parar de mexer, até obter um béchamel espesso.
Adicione o frango picado e o queijo parmesão; misture e tempere com sal e pimenta.
Transfira a mistura para um recipiente untado com manteiga e leve ao frio durante algumas horas para solidificar.
Entretanto, no robot de cozinha, triture os corn flakes.
Faça pequenas porções com a ajuda de uma colher e disponha-as em cima da bancada de cozinha, polvilhada generosamente com farinha.
Forme bolas com a massa. Polvilhe com farinha para evitar que se agarrem às mãos.
Passe por ovo batido e, depois, pelos corn flakes.
Frite em óleo abundante e deixe escorrer sobre papel absorvente.
Para o molho, misture todos os ingredientes numa tigela. 
Antes de comer os croquetes, mergulhe-os no molho refrescante.

DICAS
Congele as bolinhas num tabuleiro forrado com papel vegetal. Logo que estiverem duras transfira-as para um saco de congelação e, quando quiser consumi-los, frite diretamente em óleo bem quente,sem deixar descongelar.



Best friends forever | bacalhau fresco com molho de caril



Partilha é a palavra de ordem! E não há partilha sem amigos, sem pessoas chegadas de quem gostamos e que nos fazem bem... E... haverá melhor forma de celebrar a partilha do que à volta de uma mesa? Pois, acho que não! Foi por isso que ontem juntei alguns amigos à mesa para celebrar o movimento #bffiglo, ou seja, best friends forever! Queria eu dizer Bacalhau Fresco Forever! Sim, o protagonista da noite foi o novo produto da IGLO, o bacalhau fresco congelado que está disponível em tranche ou em lombos individuais com cerca de 100 gramas cada, tão fácil de racionar e preparar. 
Trata-se de um peixe fresco, limpo de peles e espinhas, tão suculento e que fica bem em qualquer receita. 
Eu e as manas que vieram jantar comigo adoramos caril, e acabei, com a ajuda delas, por preparar um delicioso bacalhau fresco com molho de maçã e caril.

INGREDIENTES
2 cebolas médias picadas
2 maçãs granny smith descaroçadas
400 ml de leite de côco
2 colheres de sopa de caril em pó
1 copo de vinho branco
1/2 pimento vermelho
Coentros frescos a gosto
Sal q.b
Azeite q.b

PREPARAÇÃO
Coloque os lombos de bacalhau fresco IGLO a descongelar.
Aqueça um tacho ou frigideira funda com um fio de azeite.
Adicione a cebola e deixe refogar ligeiramente.
Corte o pimento em cubos com cerca de 1 cm e adicione. Misture e deixe cozinhar por 3 minutos.
Adicione o caril em pó e misture bem.
Adicione o vinho branco e deixe evaporar.
Adicione as maçãs, previamente cortadas em cubos com cerca de 1 cm.
Adicione o leite de côco e deixe cozinhar por cerca de 15 minutos, mexendo de vez em quando.
Adicione, por fim, os lombos de bacalhau fresco da IGLO cortados em cubos com cerca de 2 cm, retifique os temperos e deixe cozinhar por cerca de 5 minutos.
Sirva salpicado com os coentros frescos e acompanhe com arroz basmati cozido.



*Esta receita teve o apoio da IGLO

Cebola caramelizada



Em praticamente todos os restaurantes, de fast food e não só, podemos ler nas cartas "prato XXX com cebola caramelizada" ou "hambúrguer de XXX com cebola caramelizada"; a verdade é que chama a atenção e, aqui vos confesso, adoro!
Há várias formas de caramelizar a cebola, ora através da sua fritura em manteiga e açúcar, ou mel, ou caramelo, ou estufando em fogo lento durante muito tempo.
Esta é a minha forma de a caramelizar; é mais, às vezes até adiciono um pouco de vinho branco ou Porto, mas isso vai do gosto de cada um!
A verdade é que, por cima de um hambúrguer grelhado, numa tosta com um pouco de queijo ou em cima de, por exemplo, um bom bife de atum, esta cebola fica deliciosa.

INGREDIENTES
500 gramas de cebola doce
50 ml de azeite virgem extra
1 colher de café de pimenta rosa em grão
2 colheres de sopa de mel
Sal a gosto
Folhas de salva fresca a gosto

PREPARAÇÃO
Descasque as cebolas e corte-as em meias luas.
Aqueça uma frigideira com a cebola e adicione o azeite.
Cozinhe, em fogo médio e mexendo de vez em quando, por cerca de 20 a 30 minutos, ou até que a cebola ganhe cor.
Tempere com sal e a pimenta em grão.
Adicione o mel, misture e deixe cozinhar por mais 5 minutos.
Antes de retirar do fogo, adicione as folhas de salva bem lavadas e enxutas e envolva.
Utilize de seguida, ou guarde em frascos com fecho hermético no frigorífico durante até duas semanas.